Alberto Población
Entre em contato

Alberto Población

Access
Croácia
Alberto tem trabalhado para a indústria de computadores durante mais de 30 anos, a maioria deles como desenvolvedor de software. Suas conquistas incluem a criação de um 4GL antes dos 4GLs se tornarem moda, criar um intérprete, um compilador, um editor de link e um depurador para aquele idioma, bem como um IDE para desenvolvimento (bem antes dos IDEs se tornarem comuns nas ferramentas de desenvolvimento), e fazer a compilação para um código intermediário que era então interpretado por uma máquina virtual executada em vários sistemas operacionais (simplesmente como o Java - mas isso foi anos antes do Java aparecer).
Ao longo dos anos, ele tem ocupado quase todas as posições possíveis no desenvolvimento de software, incluindo arquiteto-chefe de software para uma pequena ISV e também CTO para um ISP.
Ele está atualmente trabalhando como consultor e desenvolvedor freelance, bem como fornecendo treinamento com um Instrutor Certificado da Microsoft, a maioria no campo de desenvolvimento de software na plataforma .Net.
Alberto foi premiado primeiro como MVP em 2006 por suas contribuições notáveis para os fóruns do Microsoft Visual C# no MSDN e, desde então, tem estado presente em diferentes comunidades online, como o MSDN Translation Wiki, onde ele é o principal contribuidor mundial, tendo sugerido quase 1.900 traduções para cadeias de caracteres nos últimos meses. Ele geralmente participa ativamente de grandes eventos da Microsoft, como o TechEd Europa 2013, onde foi selecionado como instrutor para as sessões práticas de laboratório.
Ele é o autor do livro”.NET Windows Development: Everyday Tips, Tricks & Optimization" bem como de vários cursos de treinamento online, e um contribuidor regular para a revista "DotNetMania".
Para ele, ser um MVP significa “servir a comunidade”, afirma. No entanto, de acordo com ele, um MVP deve ter um conhecimento técnico muito aprofundado, mas também deve ser capaz de dedicar tempo para solucionar problemas que às vezes não tem uma grande complexidade técnica, mas continua importante para a pessoa que solicitou ajuda.
Um MVP também frequentemente enfrenta a situação de ser consultado pela comunidade sobre problemas cuja solução necessita de um conhecimento bem amplo de várias linguagens de programação, bibliotecas, requisitos de sistemas operacionais e configurações, DBs, ferramentas de comunicação, etc… No entanto ele se considera mais como um “generalista” do que um “especialista”. Ele possui mais de 60 certificações oficiais da Microsoft. "Este conhecimento sobre uma ampla variedade de tecnologias permite que eu ajude os outros a solucionar problemas que envolvem tecnologias múltiplas", ele afirma.
Ele se lembra dos tempos do “Visicalc”, a primeira planilha, que de acordo com ele, tornou os computadores interessantes não apenas para os entusiastas da tecnologia, mas também para os analistas de negócios. Alberto valoriza a relação que os MVPs têm com a Microsoft, porém, mantém um espírito crítico em algumas questões. Ele gostaria de ver a Microsoft mais orientada para os parceiros e clientes do que ela é hoje.
Ele tem alguns projetos em mente, alguns deles relacionados ao desenvolvimento de aplicativos e criação de conteúdo que ele acha que poderia ver a luz e lhe trazer alguns benefícios regulares. Ele se sente confiante sobre o futuro. “Como um profissional freelance tenho que atrair clientes e alguns deles vem até mim por causa da minha Premiação MVP”, ele afirma.